21 set Perigos da Má Alimentação

A nutrição é o fator ambiental de maior importância para saúde na infância e na adolescência. O crescimento infantil não se restringe ao aumento do peso e da estatura, pois é um processo que envolve dimensão corporal, crescimento e diferenciação celular. A má nutrição é um dos fatores que, por si só, contribui muito para fragilizar o organismo em fase de desenvolvimento.

Uma criança ou um adolescente mal nutrido pode carregar consequências ruins para o resto da vida. São bastante conhecidos os riscos da obesidade infantil, que pode ocasionar problemas físicos e mentais nas crianças. Tem sido cada vez mais frequente também o aparecimento de “doenças de adultos” nessa faixa etária, como o diabetes, a dislipidemia (aumento do colesterol) e a hipertensão.

Os fatores de risco mais comumente observados, em minha experiência clínica, na infância e na adolescência são os seguintes:

– Consumo inadequado ou desequilibrado de macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras), observada principalmente pelo excesso de carboidratos (açúcar, doces, refrigerantes, etc.) e gorduras saturadas (frituras, salgadinhos, fast food, etc.) em detrimento do consumo de carboidratos integrais (arroz integral, cereais integrais, grãos em geral), gorduras de boa qualidade (abacate, azeite de oliva, peixes, sementes e castanhas) e proteínas diversificadas de alto valor biológico (carnes, aves, peixes, ovos, lácteos);

– Consumo inadequado de vitaminas, minerais e fotoquímicos (frutas e vegetais frescos);

– Consumo inadequado de fibras;

– Consumo inadequado de prebióticos e probióticos;

– Consumo inadequado de alimentos fonte de gordura Omega 3;

– Consumo excessivo de alimentos processados (industrializados);

– Baixo consumo de frutas frescas, vegetais e grãos integrais;

– Baixo consumo de alimentos orgânicos e exposição a agrotóxicos excessiva;

– Pouca hidratação com água mineral;

– Restrição alimentar;

– Monotonia alimentar;

– Mais gravemente, transtornos alimentares como bulimia e anorexia;

Nutrição e Ginecologia

Os desequilíbrios nutricionais são fatores de risco para a baixa capacidade imunológica e consequentemente risco para integridade da microbiota vaginal e alteração de pH ideal vaginal de meninas e adolescentes. Fatores que predispõe a uma das queixas ginecológicas mais comuns: o corrimento.

O organismo saudável mantém um equilíbrio entre as boas e a más bactérias, determinante para saúde das mucosas (vaginal e intestinal). O desequilíbrio entre essas bactérias gera um processo chamado disbiose no qual as bactérias saudáveis ou probióticas (lactobacillus) ficam diminuídas, gerando um crescimento desordenado de microorganismos nocivos à mucosa vaginal (bactérias e fungos).

Silvia Benvenutti
CRN 3085