21 set Os problemas urinários na mulher

Os problemas urinários na mulher podem acometer qualquer parte do trato urinário: quando atinge os rins, recebe o nome de pielonefrite; quando é na bexiga, cistite; e na uretra, uretrite.

Essas infecções são muito mais comuns no sexo feminino e isso se deve principalmente ao fato de a uretra feminina ser bem menor que a masculina, sendo mais fácil o acesso das bactérias que habitam a região próxima à entrada da uretra, como a vagina e ânus.

As infecções no trato urinário baixo, ou seja, a uretrite e a cistite, comumente dão sintomas como dor ou ardor para urinar (principalmente no fim da urina), sensação de que não consegue esvaziar a bexiga, o surgimento de odor forte e até sangue na urina. Já nas infecções do trato urinário alto, ou pielonefrites, há uma piora do estado geral com febre, mal estar, dor lombar e vômitos.

A urina é normalmente isenta de bactérias. Quando elas são encontradas na urina de mulheres que não tem sintomas, é dado o nome de bacteriúria assintomática e deve ser tratada se a mulher estiver grávida, para evitar complicações na gestação.

A principal forma de instalação da infecção urinária baixa é através da ascensão da bactéria até a bexiga e a uretra. Já a infecção dos rins pode ser causada também por micro-organismos que chegam por meio do sangue.

A bactéria que mais comumente causa infecção urinária é a Escherichia coli, que faz parte da flora intestinal normal e, por esse motivo, a higiene local é tão importante para se evitá-la.

Outro fator que pode levar à infecção urinária é a estase urinária (urina parada na bexiga), que ajuda na proliferação de bactérias. Por isso, a necessidade de se esvaziar a bexiga sempre que se tem vontade e tomar bastante água.

O diagnóstico de infecção urinária é feito pela identificação dos sintomas e realização do exame de cultura, ou urocultura, no qual também podem ser testados os antibióticos que farão efeito contra a bactéria encontrada.

Mesmo sendo a infecção urinária muito comum entre as mulheres, nos casos em que elas se tornam repetitivas é necessário investigar o motivo e, para isso, podem ser solicitados exames como ultrassom de rins e vias urinárias, urografia excretora, entre outros. Em alguns casos, pode ser indicado o uso de antibiótico profilático.

A infecção urinária é tratada com antibióticos que, se utilizados de forma incorreta, podem levar a resistência da bactéria, dificultando o tratamento.

Medidas como higiene local, lavar a região perianal após as evacuações, uso correto do papel higiênico (sempre da região anterior para a posterior, ou da vagina para o ânus), ingerir bastante água e não segurar a urina podem evitar que essas infecções se instalem. E, principalmente, NUNCA tomar antibiótico sem orientação médica.

Dr. Mauricio Abrão
CRM 52842