21 set O uso da pílula anticoncepcional e a trombose: mito ou verdade?

Na entrevista abaixo, a ginecologista, Dra. Lídia Myung (CRM: 119213) fala sobre o uso contínuo do contraceptivo e a relação com os casos de trombose. A pílula por ser um medicamento hormonal, pode sim aumentar o risco de trombose. Saiba também como identificar a trombose e qual o melhor tratamento.

1 – A pílula é indicada para quem tem problemas de circulação? 

A pílula anticoncepcional é basicamente indicada pelo ginecologista para contracepção e controle de sintomas relacionados ao ciclo menstrual como tensão pré-menstrual, cólicas menstruais, menstruação em quantidade excessiva, entre outras indicações.

2 –  O uso da pílula anticoncepcional pode afetar a coagulação sanguínea? 

A pílula anticoncepcional por ser um medicamento hormonal, pode aumentar o risco de trombose.

3 – Quem toma pílula de baixa dosagem corre menos risco de ter trombose? 

Sim, estudos têm demonstrado maior associação de risco para trombose quanto maior a dosagem hormonal, e mesmo fazendo um comparativo entre pílulas de baixa dosagem, existem aquelas que parecem ter maior risco que outras.

4 – Pesquisa do British Medical Journal (BMJ) afirma que os contraceptivos não orais, como os adesivos e anéis vaginais apresentam maior risco de causarem trombose do que as pílulas? Explique um pouco sobre a questão. 

Os estudos têm observado uma maior concentração hormonal de estrogênios na corrente sanguínea em usuárias de contraceptivos não orais, principalmente na forma de adesivos transdérmicos, possivelmente relacionando ao maior risco de trombose.

5 – Quais as consequências e os riscos da trombose? 

A trombose pode acarretar riscos circulatórios, até mesmo cursar com acidente vascular cerebral e embolia pulmonar, doenças de grande morbimortalidade.

6 – Como identificar a trombose? Qual o tratamento? 

A trombose pode ser diagnosticada pelo conjunto dos sintomas e exame clínico feito pelo médico. Quando se trata de acometimento de membros inferiores pode se diagnosticar através de ultrassonografia doppler de membros inferiores. O tratamento é realizado com anticoagulantes, dependendo da gravidade o tratamento pode ser feito em casa ou com a paciente internada. O seguimento e os tratamentos são feitos por especialistas em cirurgia vascular, clínica médica e/ ou hematologistas.

7 – A pílula ainda é o contraceptivo mais indicado pelos médicos? Por quê? 

Todo medicamento pode oferecer riscos à saúde. Os riscos são minimizados quando as indicações e contraindicações são analisadas. Por isso é importante que o medicamento deva ser prescrito e acompanhado sempre pelo médico, evitando sempre que possivel a auto-medicação.

8 – Além da trombose quais outros riscos que o uso da pílula acarreta? O uso contínuo é prejudicial à saúde de alguma maneira? 

Não existem estudos que evidenciem que o uso continuado da pílula acarrete diferenças no risco a saúde.

9 – O tabagismo associado ao uso do contraceptivo oral representam fatores de risco para o surgimento da trombose? 

Sim, a associação de tabagismo e uso de método contraceptivo hormonal aumentam o risco de trombose. O tabagismo por si só já aumentaria o risco.

10 – Mulheres sedentárias e obesas são mais propensas à trombose? 

Sim, mulheres sedentárias e obesas apresentam maior risco à trombose por maior estase na circulação sanguínea.