21 set Mapeamento Corporal

Mapeamento Corporal e Dermatoscopia Digital dos Nevos Melanocíticos

Os nevos melanocíticos são lesões pigmentadas da pele conhecidas popularmente como “pintas” ou “sinais”. Os nevos são frequentes nos seres humanos, principalmente naqueles de pele clara e com história de exposição solar em excesso na infância e adolescência. Estas lesões podem transformar-se em melanoma ao longo de sua evolução e por essa razão devem ser examinadas em detalhe pelo dermatologista. O melanoma cutâneo é uma neoplasia que acomete principalmente adultos jovens (entre 20 e 50 anos) e corresponde a aproximadamente 4% dos cânceres dermatológicos, sendo, no entanto, responsável por cerca de 80% das mortes por câncer de pele. Sua incidência tem aumentado de forma relevante nos últimos 10 anos e o diagnóstico precoce ainda é o tratamento mais efetivo, uma vez que não responde à quimioterapia e/ou radioterapia quando há o desenvolvimento de metástases. Assim, a cura do melanoma cutâneo está relacionada à retirada completa do tumor em sua fase inicial de desenvolvimento e está bem estabelecida a necessidade do diagnóstico precoce. Antigamente, a retirada cirúrgica indiscriminada das “pintas” era realizada com a finalidade de diagnosticar-se o melanoma na sua fase inicial.

Atualmente há várias ferramentas que podem ajudar o dermatologista no diagnóstico mais preciso das lesões pigmentadas da pele, evitando-se, assim, a retirada desnecessária de múltiplas “pintas” e poupando o paciente do estresse cirúrgico e cicatrizes inestéticas pelo corpo. Uma delas é a dermatoscopia digital, recurso diagnóstico não invasivo muito utilizado para avaliação dos nevos melanocíticos. Utiliza-se uma lupa (dermatoscópio) que aumenta em até 70 vezes a imagem da lesão, permitindo que o dermatologista classifique-a como benigna, maligna ou suspeita. As “pintas” classificadas como malignas devem ser retiradas prontamente por meio de procedimento cirúrgico, já as “pintas” suspeitas podem ser acompanhadas periodicamente, evitando-se assim a retirada desnecessária das mesmas.

O mapeamento corporal é um exame indicado para pessoas com risco aumentado para o desenvolvimento do melanoma. Consiste primeiramente na coleta de fotos macroscópicas de toda a superfície corpórea do paciente, então, as “pintas” são selecionadas e a dermatoscopia digital é realizada em cada uma delas. Todas as imagens são capturadas e processadas por um software e ficam armazenadas no computador, permitindo o acompanhamento da evolução da “pinta” ao longo do tempo e a identificação de alterações sutis em suas características, possibilitando o diagnóstico precoce do melanoma.

Em quais pacientes a Dermatoscopia está indicada?

– Todos. A dermatoscopia é exame de rotina na primeira consulta da maioria dos dermatologistas.

Em quais pacientes o Mapeamento Corporal e a Dermatoscopia Digital estão indicados?

– Pacientes com múltiplos nevos melanocíticos (múltiplas “pintas”)

– Pele clara

– Antecedente pessoal e/ou familiar de melanoma

– Histórico de queimadura solar na infância

– Exposição excessiva à radiação ultravioleta

– Síndrome do Nevo Atípico

– Síndrome do Melanoma Familial

– Pacientes com nevos congênitos (“pintas” desde o nascimento)

A – Lesão pigmentada na face.

B – Avaliação evolutiva realizada 6 meses após a imagem inicial demonstrando mudança no padrão da lesão com aumento das dimensões e do seu grau de pigmentação. A lesão foi removida cirurgicamente e demonstrou tratar-se de um melanoma.